30 março, 2012


Está tudo uma bagunça. Não, não é o meu quarto, nem mesmo qualquer parte da casa. Mas sim os meus sentimentos, e sim, eu mesma. Estou confusa, meio que insana, totalmente sem rumo. Você bagunçou a minha vida de uma força incrível, como um furacão desgovernado que não tem limites e nem hora para parar, e a qualquer momento pode destruir-me. Com você tive momentos muito conturbados e intervalos muito curtos entre eles. Não tive tempo para aprender a não iludir-me, nem ao menos tempo para não machucar-me. Você não teve pena não é mesmo? Veio como uma onda de sofrimentos muito forte, daquelas capazes de derrubar o cara mais forte de todos. Não digo que não estive feliz ao seu lado, porém sou dessas que é capaz de esquecer um “batalhão” de felicidade, com apenas uma dose de tristeza. Acho que o efeito é mais forte em mim, é como uma dose de vodka, que pode te derrubar com apenas com um gole. Está feliz ao ver-me sofrer agora? Era esse sempre o seu plano? Acho que conseguiu, mas informo-lhe que entrarei em uma breve “reconstrução” total, e voltarei um dia para mostrar-lhe que sou mais forte do que pensaste. Voltarei, sim, mas em forma de superação. Vou renovar-me. Lavar todos os sentimentos que existem dentro de mim, jogar alguns deles fora, principalmente, o que eu tinha por ti. E eu já comecei essa faxina geral. Primeiro passei a vassoura, em todos os cantinhos possíveis, varri, varri, até ver que saiu tudo. Depois, passei o aspirador de pó, para ter certeza que saiu tudinho, mesmo. Agora só falta passar pano, e depois, jogar água. Vou encher todos os baldes possíveis pra ver se isso sai de vez de dentro de mim, se possível vou usar uma mangueira, esfregar, esfregar e esfregar. Não quero mais nenhum vestígio teu dentro do meu peito. Vou secar, e depois, vasculhar pessoalmente a olho nu, e logo após usarei uma lupa, só pra ter certeza absoluta que o teu cheiro não está mais entranhado no meu nariz, e que a tuas manias eu já não uso mais como minhas. Vou deixar todas as janelas abertas, mas colocarei grades antes, para que ninguém entre, apenas o ar fresco. Deixarei o meu coração bem arejado, livre de inflamações e doenças.
Você está satisfeito agora? Está feliz em ver todas essas palavras ofensivas saindo de mim? Está agradecido por eu ter tirado-te do meu coração e livrado-o dos meus sentimentos exagerados? Espero que sim! Porque agora, eu cansei de ser boba. Te amo, não nego, mas cansei. Todos cansam um dia, e o meu dia chegou. Espero que tu sejas felizes com quem for, ou como for. E não volte atrás. Não me procure, finja que eu nunca passei pela tua vida, enterre este passado. Não quero mais saber de você, nem das tuas manias, dos teus sorrisos, dos teu beijos, dos teu abraços, dos teus carinhos, e nem do seu cabelo bagunçado, que consegue fazer-me derreter… Ah, como eu amo esse teu cabelo. Mas não posso. Não vou entregar-me agora.
Vê se não esquece o quanto eu te amei, seu filho da mãe. Não esquece que eu deixei toda a minha vida à sua mão, e você fez isso comigo. Vá para o inferno! E permaneça por lá, sozinho, abandonado. Não desejo ver esse teu rosto nem pintado de ouro. Cansei, e dessa vez, é sem volta.


0 comentários:

Pesquise

Ariane Rodrigues, 18 anos,canceriana, romântica nata, curiosa, confusa, intrigante e cheia de irônias. Louca pela família e amigos .Futura jornalista, ama ler, ouvir músicas do tipo que acalmam a alma. Apaixonada por moda e pela Demi Lovato ♥.

  

Facebook

Seguidores

Marcadores

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Tradutor