23 agosto, 2013


"Nunca fui muito boa em despedidas, mais eu temia e esse momento finalmente chegou. Hora de dizer adeus e virar a página, ficar retardando o inevitável é inútil!
Você não foi o pior que me aconteceu, e passou perto de ser o melhor, mais fazer o que se nossas linhas tortas, de tão tortas, não conseguiram se cruzar? Tão diferentes e ao mesmo tempo, tão iguais, a gente nunca soube o meio termo, ou quente ou frio demais, nunca nenhum sedia pelo outro, tão triste que morreu ali.
Não posso negar que vai ter muita coisa que vou sentir falta. Daquela sua cara e sono, das briguinhas sem motivos que acabavam sempre em beijos, das vezes em que você me fez sentir segura, capaz de fazer a garota pé no chão flutuar nem que por uns dias. De quando você me fazia agir como boba, mesmo que negasse o que eu sentia, como você já disse, “Dá pra sentir seu amor no seu beijo”, meu amor estava em tudo, toda hora e você sabia disso. Mas agora são só lembranças...
As fotos foram rasgadas, apagadas, numa tentativa inútil que as boas e más lembranças fossem com elas, mas não foi. Nada do que eu tente fazer é capaz de apagar tudo o que eu vivi. Por isso mais uma vez quebrei minha promessa, e aqui estou eu, de novo, escrevendo sobre você. É só isso que eu sei fazer, você a todo momento.
Queria que fosse tão fácil pra mim quanto é pra você. Você fazia com que tudo parecesse simples. E por um segundo eu realmente pensei que fossem, sabe, só sentir e agir, assim como você faz, sem pensar em quem em nada ou a quem vai atingir, apenas fazer. Essa era uma das nossas maiores diferenças. Eu sou incapaz de magoar alguém, independente que minha felicidade estivesse em jogo, já você...
Deixei que muitas vezes você passasse em cima de mim, e depois voltasse, sem ao menos se desculpar, do seu jeito, se arrependia, e tentava de novo. Tentativas tão inúteis. Somos a prova viva de que insistir nos erros, que já deram tantas vezes errado, e tentar dar certo não adianta. Simplesmente não é pra ser.
Você não tem noção das noites mal dormidas, de que enquanto você estava curtindo na balada, sou saindo por ai, como um louco, eu pedia pra que nada de ruim te acontecesse, não ficava tranquila, enquanto você estava em casa. Cuidava, até mesmo quando você pedia pra me afastar.  Quando se ama, a gente não ouve ninguém.
Talvez a culpa tenha sido minha, por demonstrar das formas erradas, talvez seja sua, por não sentir nada, ou no final das contas não era de ninguém, apenas, mais um aprendizado. As coisas não tem sido fáceis, mais é melhor sem você. Em algumas noites a saudade vem, aperta, até que escorre nos olhos, tira meu sono e depois, vai embora.
Não queria que acabasse assim, nem que acabasse. Mas você já está bem, e eu vou ficar bem. Querendo ou não, seu lugar no meu coração, é mais que especial, não tenho como te tirar do que conseguiu conquistar, primeiro amor, primeiras escolhas e minha primeira despedida.
Vou sentir sua falta, mais algum dia ela vai desaparecer, só restarão as boas lembranças, vai ser apenas passado. O melhor eu tenho a te desejar, e vê se aprende a se cuidar, já que eu não posso mais fazer isso por você. 
Como eu sempre digo a mim mesma, nunca estou preparada pra dizer adeus, mais às vezes ele é preciso, para que novos caminhos e novas lembranças sejam traçadas, então, desta vez não tive como contornar a situação, alias, tem nem porque eu fazer isso. Cada um está seguindo sua vida, assim como tem que ser, nada de se torturar ou tentar concertar algo que não tem mais solução. Apenas acenar e seguir em frente."

Sobre um relacionamento mal sucedido, e uma dolorosa despedida.
Ariane

0 comentários:

Pesquise

Ariane Rodrigues, 18 anos,canceriana, romântica nata, curiosa, confusa, intrigante e cheia de irônias. Louca pela família e amigos .Futura jornalista, ama ler, ouvir músicas do tipo que acalmam a alma. Apaixonada por moda e pela Demi Lovato ♥.

  

Facebook

Seguidores

Marcadores

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Tradutor