26 setembro, 2013

“Aqui estou eu, novamente, transbordando dúvidas e sentimentos. Ainda naquela incansável busca de algo que me complete me faça tirar de novo os pés do chão.
Quando me diziam que crescer não era tão bom assim, eu não acreditava, acho que nunca estava satisfeita com nada, sempre querendo mais e mais, esse sempre foi meu problema.
Quando é mesmo que a vida fica fácil de ser vivida, e os problemas diminuem? Quando é que achamos o propósito da vida? Pra onde ir, que caminho seguir? São tantas as perguntas que ecoam em nossas cabeças, num mundo de tanta mentira e hipocrisia difícil mesmo é encontrar alguém que realmente valha a pena acreditar, lutar e caminhar junto.
No fundo, ninguém é tão alguém que não precise de ninguém. Por mais que quiséssemos ser auto-suficientes, e não precisar, precisamos. Não dá pra negar que fica muito mais fácil, quando se tem alguém pra dividir o peso, alguém que nos ajude a superar, um ombro pra chorar, um alguém pra amar.
Estamos na constante procura desse tal alguém. O verdadeiro amor, daqueles que te fazem flutuar, chorar, odiar na mesma proporção que se ama, achar um equilíbrio. Não importa qual forma de amor, todas são bem vindas. Alguns vêm te fazem sentir assim, e de repente, simplesmente se vão, com ou sem despedida. Tudo se acaba, parece que o mundo perde até as cores, e depois que se supera, começa tudo de novo, até a pessoa certa aparecer.
Parece bobeira a essa altura do campeonato, eu ainda acreditar que essa pessoa exista. Mas não dá pra parar de acreditar no amor, se é ele que move todos os outros sentimentos, apesar de às vezes, eu implorar pra não sentir nada, ou pelo menos poder controlar o que sinto, o intenso, o misterioso, o verdadeiro, é isso que me fascina.
Poder fazer planos, e às vezes vê-los serem destruídos, os erros, as decepções, essas são necessárias, para que se possa crescer, e ter a chance de fazer diferente.
Eu só quero alguém que seja tão intenso quanto eu, que não tenha medo de sentir, ou se entregar. Alguém que me faça sentir segura a ponto de me fazer baixar a guarda, que valha a pena lutar, alguém que faça chover e ao mesmo tempo dance na chuva, mais acima de tudo, que retribua tudo isso, afinal, não é amor se não for recíproco.
No dia em que eu achar, talvez com isso, ache o que falte em mim, ou não. Pode ser só o começo de uma nova busca. Eu e as minhas perguntas sem respostas, quando encontrar as respostas pra essas, sei que virão mais perguntas, eu nunca fico satisfeita, sempre por aí procurando por algo que nem eu sei o que é...
Posso dizer que quando se sofre muito, você se torna mais forte e ao mesmo tempo sente muito medo de que tudo se repita, mais nunca podemos deixar que isso destrua nossos sonhos ou objetivos, sejam quais eles forem. Hoje, eu não peço mais para que dê certo, mais sim para que não dê tão errado.”

- Ariane

0 comentários:

Pesquise

Ariane Rodrigues, 18 anos,canceriana, romântica nata, curiosa, confusa, intrigante e cheia de irônias. Louca pela família e amigos .Futura jornalista, ama ler, ouvir músicas do tipo que acalmam a alma. Apaixonada por moda e pela Demi Lovato ♥.

  

Facebook

Seguidores

Marcadores

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Tradutor