16 junho, 2014

Olhando pra trás eu percebi, o quanto amadureci depois de tanto sofrimento. O quanto me tornei mais forte. O quanto aprendi a me amar mais, antes de amar qualquer outra pessoa. Claro que isso não significa que doa menos, ou que eu não me machuque mais, só que não vale sacrificar a nossa paz, por outra pessoa. Porque no final, tudo acaba.
Logo eu que sempre fui péssima em despedidas. Que não queria ninguém por perto, pra não ter que sentir  isso de novo. Estou aqui, com um aperto tão grande que parece que vai me sufocar . Queria ser daquelas que aprenderam a ser frias, que não conseguem se permitir. Mais eu não sou. Não sou assim. Sou intensidade, vibração, sentimento e uma grande carga de drama, não te culpo por ir embora e não te peço pra ficar.
Se tem algo que eu aprendi, é que amor e atenção não se implora. Perto de mim só quem queira estar. Eu quero sentir, eu quero chorar de alegria, eu quero ser o motivo do sorriso de alguém. Ser suficiente. Mas essa ainda não é minha hora. Cheguei no meu limite, então vamos parar por aqui antes que tudo piore.
Eu ainda sinto o seu cheiro. Eu ainda quero dormir e acordar do seu lado. Eu ainda acho o seu sorriso o mais bonito de todos. Mas tudo se perdeu. Aquele encantamento todo se foi. No momento em que um de nós não sabia o que queria. No momento em que as atitudes e a falta delas afetava o outro. E esse alguém era eu. Sempre sou eu. Quem sai magoada, juntando os restos no chão e tentando levantar.
 No fundo eu sabia como as coisas terminariam. Eu sabia que era roubada tentar consertar uma pessoa quebrada, afinal, você pode se cortar em seus cacos. Eu não posso me permitir ser a segunda opção de novo. Não posso nem pensar em me torturar cada dia e cada noite quando você não estiver aqui. E te ver se afastando aos poucos, sem saber o que fazer pra você ficar.
Por isso estou te deixando livre pra ir embora. Vire as costas, não olhe pra trás, porque eu iria correndo em seu encontro. Apenas siga em frente. Abrace o mundo como você sonha. Vá na sua busca pela independência. Eu não consigo mas ficar aqui estendendo a mão, sabendo que você prefere seguir carreira solo.
Quanto a mim, não se preocupe. Nenhuma dor é eterna. Eu só te peço que quando ouvir a nossa música. Quando assistir aquele filme que a gente gostava de ver juntos. Quando for aos lugares que fizeram essa história, que mesmo pequena, marcar tanto. Lembre-se que eu lutei até não poder mais, que eu insisti, o quanto eu valorizava nossa felicidade momentânea. Mas que a escolha foi sua e se sentir vontade de voltar, eu não garanto mais que estarei aqui. Não é um adeus, apenas um até logo. Só deixe um resto no frasco do perfume, pra que ainda reste um pouco de mim no seu quarto.

Ariane Rocha

3 comentários:

  1. Não existe um ponto final em historia alguma, apenas virgulas, para que uma nova historia comece! não fique triste, apenas procure algo bom nisso tudo, e lute por si mesma! vc ja é tudo que precisa, não tem de sofrer por quem não a merece! Não deixe que nada tire de vc seu sorriso, nada interfira em seus sonhos, apenas lute por eles! tenho certeza de que vc é capaz, sempre foi, sua felicidade esta em vc, não desista dela!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu sei que não é o final. Eu não teria conseguido se não fosse a força que me deu, agora só dar um tempo pras coisas se reorganizarem. Não há do que se arrepender, apenas boas lembranças. Obrigada de novo ♥

      Excluir
  2. Olá, segui seu blog com as minhas 3 contas no google, poderia seguir de volta? bejos linda blogdaaveiro.blogspot.com bj

    ResponderExcluir

Pesquise

Ariane Rodrigues, 18 anos,canceriana, romântica nata, curiosa, confusa, intrigante e cheia de irônias. Louca pela família e amigos .Futura jornalista, ama ler, ouvir músicas do tipo que acalmam a alma. Apaixonada por moda e pela Demi Lovato ♥.

  

Facebook

Seguidores

Marcadores

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

Tradutor